• Facebook: ifscjaragua
  • Twitter: ifsc

icone docentes horarios atividades

Como Configurar Wifi

Tutorial Alunos

Encontro de Educação Inclusiva reúne 150 pessoas em Jaraguá do Sul PDF Imprimir E-mail
Ter, 03 de Outubro de 2017 15:10

Surdez, autismo, deficiência visual, deficiência intelectual, superdotação e o papel dos educadores no ensino de pessoas com tais características. Esses foram alguns dos temas debatidos na segunda edição do Encontro de Educação Inclusiva promovido pelo IFSC em Jaraguá do Sul, que reuniu cerca de 150 professores, estudantes e outros profissionais que atuam na área da educação. O evento foi realizado na última sexta-feira (29) no auditório do Câmpus Jaraguá do Sul-Centro.

 

Segundo a coordenadora do evento, Veridiane Ribeiro, o Encontro de Educação Inclusiva foi organizado para estimular nos educadores a atenção aos problemas vividos pelas pessoas com deficiência. “Para isso trouxemos palestrantes e oficineiros que abordaram diversos temas, desde a deficiência até a questão de superdotação. As escolas precisam que nós tenhamos um olhar sensível a essas condições e, por isso, precisamos debater o nosso papel frente a esses desafios. Essa é a nossa missão aqui”, destaca.

 

Para debater o ensino de pessoas com transtorno do espectro autista, por exemplo, veio de Itajaí o professor Ronan Pinheiro. Para ele, algumas ações dos profissionais em sala de aula podem estimular o desenvolvimento de funções psicológicas superiores nas crianças com autismo. “Os professores, por exemplo, devem saber dizer ‘não’, flexibilizar o formato de avaliações tradicionais com, por exemplo, o uso de figuras ou dando opções de resposta para o aluno escolher, e fazer uma fisionomia que expresse o sentido das mensagens, como uma cara de bravo na hora de chamar a atenção do autista, ao invés de falar com uma expressão de pena”, afirma.

 

O tema de superdotação e altas habilidades também teve destaque com a realização de uma palestra e uma oficina durante o evento. Uma das responsáveis por essas atividades foi a pedagoga Maria Gizeli da Silva, da Fundação Catarinense de Educação Especial (FCEE). “Com certeza todo mundo conhece alguém com altas habilidades, que são pessoas com potencial elevado em uma área isolada ou combinada com outras, como arte, psicomotricidade, liderança, inteligência geral e inteligência acadêmica. Mas esse potencial acima da média às vezes faz com que, por exemplo, a criança ou adolescente não se interesse por algumas atividades sociais, e isso acaba sendo um problema para a família. Por isso é importante identificar e encaminhar esse tipo de perfil sempre que possível”, conta.

 

O Encotnro de Educação Inclusiva é organizado anualmente por servidores do Núcleo de Apoio a Pessoas com Necessidades Específicas (Napne) do IFSC em Jaraguá do Sul. Clique aqui e acesse o site do evento.

 

Para conferir fotos do evento, clique aqui e acesse o álbum de fotos.

 

Você também pode conferir as palestras gravadas do Encontro de Educação Inclusiva no canal do Câmpus Jaraguá do Sul-Centro no Youtube.

 
Para visualizar PDF você precisa do Adobe Reader: Clique aqui para baixar.